António Passaporte

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/TT/APS
Date range
1940 Date is uncertain to 1950 Date is uncertain
Dimension and support
284 doc. fotográficos (positivos em papel, p/b, 9x13,5cm, gelatina e sais de prata
Biography or history
António Pedro Passaporte nasceu em 24 de Fevereiro de 1901, filho do fotógrafo José Pedro Braga Passaporte, natural de Évora. Aqui permaneceu até 1911, altura da partida com seu pai para Angola, onde se terá iniciado na arte da fotografia.

Apaixonado pelo teatro, quando regressou a Portugal participou em várias peças e mais tarde, em 1923, em filmes produzidos para cinema. No ano seguinte partiu para Madrid, onde iniciou a sua carreira de fotógrafo. Como vendedor de papéis fotográficos viajou por toda a Espanha e Argentina, registando paisagens e monumentos (muitas delas adquiridas pelo Ministério da Cultura e Turismo Espanhol para propaganda turística). Face ao sucesso obtido editou postais, assinando com o pseudónimo Loty, nome pelo que ficaria conhecido.

Durante a Guerra Civil de Espanha ingressou nas Brigadas Internacionais como repórter fotográfico. Terminada a guerra, regressou a Portugal e continuou a sua actividade de fotógrafo com trabalhos de publicidade e arquitectura, retratos de artistas, etc. Em 1940 principiou a produção de postais ilustrados a preto e branco, destacando-se a edição dedicada à Exposição do Mundo Português, tendo também colaborado com o Secretariado Nacional de Informação, Cultura Popular e Turismo.

Através da sua firma 'Fototécnica Loty' obtém autorização para fotografar o interior dos Palácios Nacionais, conseguindo o exclusivo para a venda dos postais nos próprios palácios.

Retirou-se da fotografia em 1965, dedicando-se, a partir daí, a escrever as suas memórias e a investigar a história da sua família. Faleceu em 1983.

Custodial history
Apesar de não constar em qualquer lista, esta documentação veio do Arquivo Nacional de Fotografia, desconhecendo-se a sua forma, fonte e data de aquisição. Parte dos documentos fotográficos apresentam um carimbo no verso, com as seguintes informações: "Conservatória e Propriedade Literária Científica e Artística - Biblioteca Nacional, 30 de Julho de 1941" ou "Conservatória e Propriedade Literária Científica e Artística - Biblioteca Nacional, 14 de Abril de 1943". No entanto há ainda a acrescentar que esta documentação terá sido inventariada, pois todos os documentos estão identificados com uma cota atribuída ("IPPC n.º x") e numeradas de 600 a 800.

O Decreto-Lei n.º 278/91 de 9 de Agosto ao mesmo tempo que criou o Instituto Português de Museus (IPM), extinguiu a Divisão de Fotografia do IPPC, colocando na dependência directa do Director do IPM a gestão do património fotográfico.

Através do Decreto-Lei n.º 160/97 de 25 de Junho foi criado o Centro Português de Fotografia (CPF), e na sua dependência o Arquivo de Fotografia de Lisboa. Parte dos fundos custodiados pelo extinto Arquivo Nacional de Fotografia foram incorporados no CPF, sendo transferidos, em Setembro de 1999 do anexo do Palácio da Ajuda, para o edifício da Torre do Tombo, local onde se instalou provisoriamente o Arquivo de Fotografia de Lisboa do CPF.

Do espólio desta casa fotográfica faziam também parte câmaras fotográficas e outro equipamento, que se encontravam no Depósito de Belém, a cargo do Divisão de Documentação Fotográfica do Instituto Português de Museus, e transferidos para as instalações do Centro Português de Fotografia, no Porto, em 1999.

O Decreto-Lei nº 93/2007, de 27 de Março e a Portaria nº 372/2007 de 30 de Março consagraram a dependência do CPF em relação à Direcção Geral de Arquivos (organismo que resultou da fusão entre o Instituto dos Arquivos Nacionais/Torre do Tombo e o Centro Português de Fotografia), e a documentação do Arquivo de Fotografia de Lisboa foi integrada no Arquivo Nacional da Torre do Tombo.

Scope and content
As fotografias reunidas neste fundo fornecem vistas panorâmicas de monumentos de Lisboa (Torre de Belém, Mosteiro dos Jerónimos, estátua de D. Pedro IV, Palácio da Ajuda, Palácio das Necessidades, Palácio de Queluz, estátua do Marquês de Pombal, Aqueduto das Águas Livres, etc.), de avenidas, jardins, edifícios e barcos.

Contém também imagens de Castelo de Vide: vistas panorâmicas, ruas, igrejas (Igreja Matriz de Santa Maria e Igreja de S. Tiago Maior) e hotéis.

Todas as fotografias estão assinadas, no verso, pelo autor.

Arrangement
Ordenação numérica sequencial.
Access restrictions
Documentação não acessível ao público e que aguarda tratamento.
Language of the material
Português